sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Desafios e dificuldades na implementação de Sistema de Gestão de Segurança no Trabalho em empresas de construção - Parte II

Esta é a segunda parte do artigo. Caso deseje veja a primeira parte aqui.

Relativamente às competências e formação, o controle dos subcontratados é um ponto que muitas vezes falha ou é difícil de controlar. No entanto a própria norma refere que a organização deverá garantir a competência do pessoal sob o seu controlo, que execute tarefas com impacto na SST. Uma sugestão para que tal não aconteça é a definição contratual destas situações, para que os subcontratados saibam o que deverão cumprir de acordo com este requisito da norma. Além deste ponto para os subcontratados também se poderá verificar dificuldades relativamente aos canais de comunicação. Podem não existir ou serem manifestamente insuficientes ou burocráticos (um exemplo disto será os subcontratados não terem conhecimento da Política).

A dificuldade do controlo de documentos prende-se sobretudo em fazê-los chegar a todas as equipas existentes no terreno e mantê-los efectivamente controlados. Uma opção que se começa a ver é a existência dos mesmos em formato digital, andando cada equipa com um pequeno portátil que contém toda a informação (no entanto há coordenação de segurança que não aceita este tipo de formato). Para pequenas e micro-empresas ainda se vê muito papel nas carrinhas e visto que os trabalhadores muitas vezes os neglicenciam, tornam-se ilegíveis ou obsoletos.

 Relativamente a emergências, a identificação de todas as possíveis torna-se outro desafio consoante o local onde se vai realizar a obra (para além de toda a implementação do plano de emergência, simulacros, etc)

O controlo das verificações aos equipamentos é outro ponto a ter-se em conta e nas empresas de construção, mas uma dificuldade prende-se mesmo em saber onde andam os equipamentos. Em empresas onde haja muitas pequenas equipas, os trabalhadores vão trocando os equipamentos uns com os outros e até os compram sem dar cavaco à segurança no trabalho. A solução passa por responsabilizar os chefes de equipa e criar procedimentos internos para que quando haja trocas, requisições ou compra de equipamento estas sejam do conhecimento do departamento da segurança no trabalho.

O registo de todos os incidentes também é outro ponto que muitas vezes é negligenciado, sobretudo aqueles onde não resultaram grandes danos materiais ou lesões. Muitas vezes descobrimos o que aconteceu já algum tempo depois e aí a investigação já era…

Bom, pelo menos estas foram algumas dificuldades que eu senti. Alguém sentiu outras?

Enviar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...